Pelos Correios, Audiência na Câmara dos Deputados em 30/05/2017

Se o vídeo estiver indisponível no YouTube, clique aqui

O debate sobre “A Situação de Crise na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos” foi ainda mais longe, alcançando, nesta terça-feira (30) o Plenário Ulysses Guimarães, da Câmara dos Deputados. Na oportunidade, diversos parlamentares, além das representações da categoria e da ECT, defenderam que os Correios continuem como Empresa Pública e a viabilização do Projeto de Fidelização, que pode trazer uma receita anual de 40 bilhões de reais para a Estatal.

O Presidente da Associação dos Analistas dos Correios do Brasil, Sr. Jailson Pereira, fez um apelo à cristandade brasileira pela União, mesmo com as diferenças. Jailson destacou que nesse momento por que passa o Brasil, mais do que nunca devemos nos unir pela nossa nação.

Diferentes partidos, por meio de seus representantes, declararam apoio à estatal e prometeram não cessar o debate até que sejam encontradas soluções benéficas aos trabalhadores e à população, para que seja mantido o patrimônio nacional de qualidade e 100% público e estatal.

Nelson Pellegrino (PT-BA)
“Ampliar a oferta de serviços e produtos e teria oportunidade não apenas de manter os funcionários, mas também o patrimônio.”

André Figueiredo (PDT-CE)
“A posição do PDT e de vários partidos políticos tem sido a de defender com muita intransigência esse patrimônio do povo brasileiro, que são os Correios. A maior riqueza são as pessoas lá trabalham.”

Maria do Rosário (PT-RS)
“Em nome do partido, digo que somos posicionados por um Correios 100% público, estatal, que cumpra sua missão diante do povo brasileiro. Estamos falando da segurança e da integração nacional, da única instituição que está em todos os lugares do Brasil, ao mesmo tempo.”

Luciana Santos (PCdoB-PE)
“O alegado déficit não se dá pelo tamanho ou viabilidade, mas pelos erros de gestão ou exageros de patrocínios, quebras de contratos, despesas trabalhistas. Estamos falando de uma empresa que tem o papel de integração do povo brasileiro, aspecto até afetivo, que, hoje, supera somente a família como uma instituição que deva ser valorizada.”

Joaquim Passarinho (PSD-PA)
“O PSD não admite discutir, de maneira alguma, a privatização dos Correios. A voz dos Correios será ouvida por todos os partidos.”

Zé Geraldo (PT-PA)
“Queremos admitir mais e não demitir. Se a empresa é estratégica, e ela tem que ser, o governo precisa buscar e criar fundos.”

Décio Lima (PT-SC)
“Os Correios não podem ser submetidos às regras de mercado. Têm que ser submetidos aos valores do nosso país.”

Vicentinho (PT-SP)
“Defender os Correios é missão, é compromisso de cada um de nós. Com políticas de perseguições e sem políticas de recursos humanos vamos continuar com resquícios da ditadura militar.”

Paulo Magalhães (PSD-BA)
“Esta casa não vai se furtar a assumir essa luta. Uma luta por direitos, que faz a aproximação dos trabalhadores no Brasil.”

Hildo Rocha (PMDB-MA)
“É preciso encontrar uma saída que não seja da maneira como está sendo conduzida pelo ministro Kassab, de entregar para a iniciativa privada esse grande patrimônio.”

Ainda não há comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Associação dos Analistas de Correios do Brasil

SGCV, LT 11, Bloco C, SL 121, Park Studios, Zona Ind. Guará – Brasília- DF, CEP 71.215-610
CNPJ 24.712.944/0001-50
Portal: www.aacb.org.br
Direto: contato@aacb.org.br

Associação dos Analistas de Correios do Brasil,

SIGA-NOS

»