Avança projeto que prioriza serviço dos Correios pela União

Proposta de Maria do Rosário visa economicidade, eficiência e moralidade, além de ganhos para estatal que podem chegar a R$ 20 bilhões.

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara aprovou nesta quarta-feira (6) substitutivo do deputado Goulart (PSD-SP) aos projetos de lei 7638/17, da deputada Maria do Rosário (PT-RS), e 6385/16, do deputado André Figueiredo (PDT-CE), que dá preferência à contratação dos Correios pela administração pública federal. O PL segue agora para apreciação da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP).

Pela iniciativa, os órgãos públicos devem contratar a estatal valendo-se do artigo 24 incisos VIII da Lei 8.666/1993, ou seja, com dispensa de licitação. Os Correios são a única instituição pública presente em todos os municípios, com capacidade de atender o território nacional nas áreas de logística, eletrônicos entre outros.

“A proposta vai ao encontro do princípio da eficiência, dada à reconhecida confiabilidade dos Correios, e o da economicidade, uma vez que os valores despendidos na contratação seriam destinados à estatal, em outras palavras, tais valores permaneceriam nos cofres da União, gerando um círculo virtuoso com benefício também para a sociedade”, explica Maria do Rosário, que integra a Frente Parlamentar em Defesa dos Correios.

Atualmente, o Ministério da Educação contrata por dispensa de licitação a logística dos Correios para a distribuição das provas do Enem e a entrega dos livros didáticos. Os Tribunais Regionais Eleitorais fazem o mesmo em relação às urnas eletrônicas.

Sustentabilidade — O projeto também contribuirá com a recuperação financeira dos Correios. Segundo o portal de compras do governo federal (Comprasnet), o total de compras realizado em 2015 foi da ordem de R$ 574 bilhões. Se aplicarmos sobre este valor o percentual de 11,73% (índice utilizado pela Fundação Dom Cabral para logística e infraestrutura) o mercado prospectivo seria de R$ 68 bilhões. Estimativas menos otimistas da própria estatal indicam o valor de R$ 20 bilhões, ainda assim mais do que o faturamento anual dos Correios.

Ainda não há comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Associação dos Analistas de Correios do Brasil

SGCV, LT 11, Bloco C, SL 121, Park Studios, Zona Ind. Guará – Brasília- DF, CEP 71.215-610
CNPJ 24.712.944/0001-50
Portal: www.aacb.org.br
Direto: contato@aacb.org.br

Associação dos Analistas de Correios do Brasil,

SIGA-NOS

»